Mudanças na Defesa e nas Forças Armadas 'inquietam' o país, diz ACM Neto

O presidente nacional do DEM, ACM Neto, utilizou as redes sociais para comentar as recentes mudanças ocorridas no Ministério da Defesa. Para o líder partidário, as Forças Armadas, que são ligadas diretamente à pasta, devem servir ao “Estado brasileiro, jamais a serviço dos interesses de quem quer que seja”.

Nesta segunda-feira (29) para a surpresa até mesmo de aliados, o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou mudanças em seis ministérios, entre eles o da Defesa. Ele demitiu o então ministro Fernando Azevedo e Silva e entregou o comando da pasta ao general Walter Souza Braga Netto, com quem possui uma relação de maior proximidade.

Na manhã desta terça-feira, a Defesa anunciou também a saída dos três comandantes das Forças Armadas, Edson Pijol, do Exército; Ilques Barbosa, da Marinha, e Antônio Carlos Moretti Bermudez, da Aeronáutica. O ministério não informou o motivo da saída. A saída conjunta foi iniciativa dos próprios comandantes. Eles pediram demissão por discordarem das sucessivas tentativas do presidente de utilizar politicamente as Forças Armadas (reveja).

“É essencial para a Democracia que as Forças Armadas atuem sempre com independência, e estejam a serviço do Estado brasileiro, jamais a serviço dos interesses de quem quer que seja”, iniciou Neto em mensagem via Twitter.

“As recentes mudanças no Ministério da Defesa e nos comandos das três Forças inquietam o país. Precisamos do máximo de responsabilidade de todas as autoridades públicas. A Democracia é um valor inegociável”, completou.

A mudança no comando do Ministério da Defesa integra uma reforma ministerial feita por Bolsonaro. Seis pastas sofreram alterações (reveja).