PC pede desculpas, reitera 'adeus' ao WhatsApp e promete gana para mudar fase do Vitória

Aos 69 anos de idade e em sua segunda passagem pelo Vitória, o presidente Paulo Carneiro, peça importante nasmaiores conquistas do Rubro-negro, vive mais um momento conturbado no clube. Dentro da Série B do Brasileirão, o Leão não vence há sete partidas e se aproxima da zona de rebaixamento para a Série C. Fora do campo, muitos problemas financeiros a se resolver e polêmicas na internet dão o tom.

Entre uma reunião e outra dentro do seu gabinete, no Barradão, o mandatário do Leão recebeu o Bahia Notícias para uma entrevista exclusiva. Em quase uma hora de perguntas e respostas, Paulo Carneiro se desculpou pelo áudio em que culpou os sócios pela situação do clube e garantiu que a ameaça feita ao jogador Vinícius contra o Ceará, pela Copa do Brasil, é uma coisa que jamais se repetirá enquanto ele estiver no cargo principal.

"Se acontecer, eu saio do Vitória. Foi a minha despedida", garantiu.

Sobre a busca pelo acesso, o mandatário opinou que o time tem sido intenso, mas não tem conseguido administrar os resultados. Paulo garantiu que não faltará dedicação para voltar a brigar na parte da frente da tabela.

"Temos sido extremamente incompetentes na administração dos jogos, a gente joga e cria. Isso tudo são justificativas, como aprendi no quartel, que explicam, mas não justificam. Nós estamos com muita gana de mudar isso, administrando toda essa dificuldade conjuntural que vivemos. Estamos todos unidos e imbuídos no Vitória para reagir imediatamente no campeonato", indicou.

Paulo Carneiro também falou sobre o início do trabalho do técnico Eduardo Barroca no Vitória, as brigas internas com a oposição, a perda da validade da lei do mandante, a queda do futebol feminino para a Série A-2, entre outros assuntos. Clique aqui e confira a entrevista completa!